EXEMPLOS POSITIVOS NAS NOVELAS

Marcio Ruiz Schiavo e Simone Xinaida


É certo que as atividades de lazer devem ser descontraídas e de livre escolha de cada pessoa. Mas se muitas dessas atividades são utilizadas para vender cigarros, bebidas e outras mercadorias, por que não aproveitá-las também para disseminar valores e estimular a adoção de novos comportamentos e práticas úteis à vida dos telespectadores e à sociedade? Esta é a principal razão da atuação do PCI-Brasil (Population Communications International-Brasil), que — através do merchandising social — vem consolidando as telenovelas como um suporte eficaz para a difusão de inovações sociais junto a grandes audiências. O merchandising social é a inserção, intencional e motiva da por fatores externos, de questões sociais nas tramas das telenovelas e minisséries.

No ano de 1998, foram 1.457 inserções, número ainda mais expressivo que o do a anterior, que registrava 1.059 cenas com mensagens sócio-educativas. Pode-se justificar esse crescimento por fatores como a grande motivação demonstrada pelos profissionais ligados à área de produção das telenovelas, além da ampliação dos temas relacionados à sexualidade, relações de gênero, direitos da infância e outras questões sociais (ver tabela pág. 58).

Telenovela: realidade, fantasia ou os dois juntos.
O merchandising social é fator decisivo para a contemporaneidade das telenovelas. Assim a modernidade obrigatoriamente permeia a obra em seus aspectos sociais, o que resulta em um processo de fusão da realidade concreta com a fantasia ou seja, a realisia.

Esse processo de interação criativa, lúdica e consequente entre a fantasia (ficção) e a realidade é cada vez mais recorrente nos dramas televisivos atuais. Quem não se lembra da trama paralela sobre crianças desaparecidas desenvolvida por Glória Perez, em Explode Coração? Sem dúvida, esse foi um dos principais fatores que permitiram que crianças há vários anos longe de seus pais fossem reencontradas. Por sua vez, o velório do Senador Caxias, em O Rei do Gado, contou com a presença dos Senadores Eduardo Suplicy e Benedita da Silva, filiados ao principal partido de oposição. Esse fato também exemplifica o que chamamos de realisia.

Outros exemplos recentes desse processo foram:

• a participação da atriz Sandra Bréa, portadora do vírus HIV, no última capítulo de Zazá. Sandra aparece na cena de lançamento do livro de Jackie (na ficção, também portadora da doença) e faz um discurso emocionante de otimismo e esperança.
• a visita dos personagens Carlão e Paulo, de Pecado Capital à Sociedade Viva Cazuza, que na realidade, atende crianças vítimas da AIDS.

O combate à exploração do trabalho infantil.
A novela Meu Bem Querer retratou “a vida como ela é”. Seu autor, Ricardo Linhares. ainda na sinopse, deixou clara a intenção de denunciar na novela a exploração do trabalho infantil: “Vamos aproveitar a trama para fazer um merchandising social da maior importância”.

A história dos personagens Tico e Bisteca, que trabalhavam nas fazendas de Custódia para ajudar a sustentar a família, nada tem de Ficção. Ao contrário, ela espelha a dura realidade vivenciada por milhares e milhares de crianças brasileiras, de Norte a Sul do território nacional. Submetidos a longas e cansativas jornadas de trabalho, os dois não conseguiam conciliar estudo e emprego. Mas apoiados pela vereadora Tonha da Pamonha, que denunciou a exploração das crianças à policia, finalmente viram a oportunidade de abandonar de vez o trabalho e voltar a estudar.

Através do merchandising social, portanto, Ricardo Linhares levantou uma importante questão social, que demanda medidas para solução urgente. Ao mostrar a cruel realidade do trabalho infantil, além de apontar soluções viáveis para a erradicação deste problema no Brasil, o autor de Meu Bem Querer contribuiu para difundir a idéia de que, através da educação, as crianças e adolescentes podem se preparar, com iguais oportunidades, para a vida adulta. Para isso, no entanto, eles deverão estar estudando e, não trabalhando em fábricas ou fazendas, O trabalho precoce retira deles exatamente a oportunidade de preparar-se para o futuro.

Trabalho da mulher: as telenovelas a serviço da igualdade de gênero.
A trabalhadora brasileira ainda é vítima de práticas discriminatórias, concentrando-se em atividades profissionais consideradas femininas, com salários sistematicamente menores que os dos homens e poucas chances de ascender a cargos de chefia. Mesmo para as mulheres que já chegaram a postos mais qualificados e melhor remunerados, as distorções em relação aos homens persistem. Além disso, para elas, não são pequenos os custos da participação mais efetiva no mercado de trabalho, já que no contexto familiar, poucas têm sido as mudanças ocorridas.

Pelo menos nas telenovelas, a realidade mostrada tem sido otimista. Segundo levantamento realizado do PCI Brasil existiam nas telenovelas da Rede Globo de Televisão, no período compreendido entre 1993 e 1998, 224 mulheres atuantes no mercado de trabalho. De lá para cá, foi possível verificar que os novos textos não só acompanharam as mudanças ocorridas no mercado de trabalho. como foram utilizados como suporte para a disseminação de inovações nesta área. Novelas como Por Amor e Torre de Babel mostraram mulheres independentes, bem sucedidas financeiramente e com oportunidades de trabalho semelhante aos homens.

EXEMPLOS POSITIVOS NAS NOVELAS

Conjuntura Social #1 – Entretenimento e Educação | Maio de 1999


Postagens mais visitadas deste blog

A produção cultural e a responsabilidade social corporativa

3E Sistema de Informação Gerencial Socioambiental

NEM BENEMERÊNCIA NEM LIBERALISMO: O SOCIAL EM UM NOVO ENFOQUE

A importância do merchandising social

Gestão, Monitoramento e Avaliação de Projetos Sociais

A Petrobras aprendendo com o sapo

Educação, Entretenimento e Informação: é Fantástico!

TECNOLOGIA SOCIAL: O QUE É?