Embrapa ajuda a diminuir a fome no Brasil e no mundo

Nesta última reunião do G-20, realizada em Cannes, na França, o milionário Bill Gates declarou em alto e bom som que o fim da fome na África passará, obrigatoriamente, pelo trabalho da nossa Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Gates sabe do que está falando, porque no dia 17 de fevereiro de 2009, em Nova York, ele participou da criação de um consórcio mundial de instituições de pesquisa e universidades que estão identificando as propriedades do solo em, literalmente, todos os continentes do planeta. A Embrapa participa do consórcio, na condição de líder na América Latina. Eis alguns dos itens que estão sendo mapeados: o risco de erosão, o nível de estoque de carbono orgânico (que combate o efeito estufa) e a disponibilidade de nutrientes presentes em cada região, para mencionar apenas alguns.

As primeiras regiões beneficiadas foram a África e Ásia, porque nelas o problema da fome é mais sério. A primeira etapa do projeto de pesquisa tem duração prevista de cinco anos e uma de suas patrocinadoras é justamente a fundação do ex-presidente da Microsoft, Bill Gates. Ao final desse período (2014), será lançado um banco de dados na internet, acessível a qualquer cidadão do planeta, que vai facilitar bastante a tomada de decisões a serem tomadas por governos. A pesquisadora Maria de Lourdes Mendonça, da Embrapa Solos (Rio de Janeiro), tornou-se a representante oficial da Embrapa neste projeto.

Tudo começou com o evento “2nd Global Workshop on Digital Soil Mapping”, realizado pela Embrapa Solos, no Rio de Janeiro, em 2006. Na época, 80 cientistas de 17 países se reuniram para debater inovações tecnológicas aplicadas à ciência do solo. A iniciativa de estruturar um consórcio só se efetivou meses depois, durante uma reunião de cientistas oriundos de vários países na Columbia University, Nova York, no final de 2006. Na ocasião, eles discutiram as metodologias a serem adotadas, a configuração do consórcio global e a elaboração da estratégia de arrecadação de fundos para a viabilização desse relevante projeto.

Representantes da Fundação Bill e Melinda Gates participaram dessa reunião e demonstraram enorme interesse pela proposta, conforme testemunhou a pesquisadora Maria de Lourdes Mendonça, na qualidade de integrante do Comitê Executivo Internacional para Mapeamento Digital de Solos. Ainformação está no site da Embrapa Solos, no seguinte endereço eletrônico: http://www.cnps.embrapa.br/noticias/banco_noticias/20090218.html.

Em março de 2009, a Fundação Bill e Melinda Gates e a Embrapa uniram oficialmente suas competências para investir no desenvolvimento da agricultura africana. Pesquisadores da Embrapa Soja (Londrina, PR) e Embrapa Cerrados (Planaltina, DF) articularam alternativas para contribuir com o aumento da produtividade agrícola em até 11 países da África subsaariana. As duas instituições estão investindo na transferência de tecnologias sobre fixação biológica de nitrogênio, processo que permite diminuir o uso ou até substituir fertilizantes químicos por inoculantes contendo rizóbios, bactérias naturalmente presentes no solo e benéficas para a nutrição das plantas. A diminuição no uso de fertilizantes nitrogenados significa menor custo de produção e maior sustentabilidade ambiental.

O consórcio internacional é formado por um Comitê Gestor especialmente contratado e mais cinco grupos, um em cada parte do globo: América do Norte, América do Sul (sob a responsabilidade do International Center of Tropical Agriculture – CIAT – e Embrapa), Ásia/ Oceania, Europa e África. A participação da Embrapa nesse processo demonstra claramente o elevado nível tecnológico alcançado pela nossa estatal. A empresa brasileira é corresponsável, juntamente com o CIAT, pela recuperação e organização dos dados para o mapeamento das propriedades e funções dos solos da América Latina.

A página do consórcio na internet pode ser visitada em http://www.globalsoilmap.net.

MÁRCIO SCHIAVO – Diretor-Presidente da COMUNICARTE – Marketing Cultural e Social Ltda. e Vice-Presidente de Responsabilidade Social da ADVB-PE.

MÁRIO MARGUTTI – Consultor e Assessor da COMUNICARTE – Marketing Cultural e Social Ltda.

Postagens mais visitadas deste blog

A produção cultural e a responsabilidade social corporativa

3E Sistema de Informação Gerencial Socioambiental

NEM BENEMERÊNCIA NEM LIBERALISMO: O SOCIAL EM UM NOVO ENFOQUE

A importância do merchandising social

A Petrobras aprendendo com o sapo

Quem é o adolescente que se quer prender?

Avaliação de Projetos Sociais

Transexualidade em foco em A Força do Querer